icon-newsletter

Solteirice: Fardo ou benção: Episódio 2

Publicadas: nov 08, 2021

Raquel Anderson: Imagine por um momento que nunca, em toda a sua vida, você saiu do seu quarto. Você passou a vida inteira no mesmo quarto! Agora, suponha que eu te diga “Você está no Rio de Janeiro. Aqui é Rio de Janeiro. Quero que você me descreva como é Rio de Janeiro”. O que você diria? É fácil para uma jovem pensar no casamento como um presente de Deus. Mas você já parou para perceber que ser solteiro é um presente igualmente bom?

Este é Aviva Nossos Corações com Nancy DeMoss Wolgemuth. O apóstolo Paulo se refere ao estado de solteiro como um dom. Isso pode parecer estranho para nossa perspectiva natural. Hoje, Nancy começará a desvendar os ensinamentos de Paulo enquanto ela continua em uma série chamada Solteirice: Fardo ou Benção. Aqui está Nancy.

Nancy: Bem, você poderia me contar sobre a única parte do Rio de Janeiro que você já viu. Você diria: “Tem paredes que são uma espécie de … de que cor são essas paredes? Meio cinza? Tem janelas na parte inferior; há luzes no teto. Você me descreveria o que conhece do Rio de Janeiro. E isso seria uma parte do Rio, mas seria uma parte muito limitada – seria apenas o seu quarto!

Agora, suponha que eu dissesse a você, “Não! O Rio de Janeiro oferece muito mais para você conhecer! Ele é conhecido mundialmente como uma das cidades mais bonitas do mundo! Você precisa sair e explorá-la! Você precisa pegar um carro e começar a dirigir pela cidade. Enquanto dirige, você começará a descobrir lugares completamente novos. Daqui, leva por volta de uma hora para você chegar na zona sul da cidade. Lá você poderá visitar o Pão de Açúcar, e então poderá dizer “Agora sim eu sei como é o Rio de Janeiro. De fato, é muito belo”. Então começaria a descrever o que você viu.

Mas sua perspectiva da cidade ainda continuaria limitada se você dirigiu apenas uma hora e conheceu somente o Pão de Açúcar. O Rio de Janeiro tem ainda mais belezas a serem vistas! É um lugar lindo por seu conjunto de praias e montanhas, tudo dentro de uma cidade! Se você quer ter uma visão mais completa de tudo isso, o que precisa fazer? Precisa ir a um local bem alto para ter uma perspectiva mais ampla. Um dos melhores locais para apreciar a beleza da cidade toda é o Corcovado, onde está a estátua do Cristo Redentor. Lá de cima você poderá ter uma visão ampla, onde conseguirá apreciar de fato suas belezas pois o Rio de Janeiro é reconhecido mundialmente por suas maravilhas!

Eu passei a acreditar que a maior parte da frustração das mulheres solteiras e, deixe-me dizer, a maior parte da frustração de algumas mulheres casadas, vem de uma perspectiva limitada. O que precisamos fazer é ir mais alto – enxergar as coisas de um ponto de vista mais alto do que de nossas perspectivas limitadas, ver as coisas como Deus as vê. No Velho Testamento, Deus disse ao Seu povo através de Isaías, “Diga ao meu povo que meus caminhos são diferentes dos caminhos deles. Que assim como os céus estão muito acima da terra, tão distantes, tão altos, tão diferentes, assim são os meus caminhos em relação aos seus caminhos” (Isaías 55:8-9 parafraseado).

A perspectiva de Deus é muito diferente da nossa. Então, invariavelmente, quando queremos ter uma perspectiva sobre a vida, vamos para um desses dois lugares. Ou vamos para o mundo e descobrimos qual é sua perspectiva, e foi assim que todas nós crescemos – ouvindo e sendo expostas à perspectiva do mundo. Ou vamos para este Livro. Vamos para a Palavra de Deus; e dizemos, “Deus, eleva-me acima da perspectiva limitada deste mundo e ajuda-me a enxergar a vida. Ajuda-me a ver a minha vida como uma mulher solteira do Teu ponto de vista.” Agora, eu acho que não existe nenhum outro capítulo na Bíblia que nos dê uma perspectiva mais ampla de casamento e solteirice do que 1 Coríntios, capítulo 7.

Então, se vocês estão com suas Bíblias, vou pedir para abri-las. Nós não vamos entrar em muitos detalhes dessa passagem, mas quero dar uma visão geral da perspectiva divina, uma perspectiva mais alta do que aquela, que talvez tivéssemos sobre casamento e solteirice.
O contexto aqui é que os cristãos de Corinto tinham escrito uma carta para o apóstolo Paulo. Eles fizeram algumas perguntas práticas acerca de diferentes aspectos da vida. Uma das perguntas era sobre casamento e solteirice.

Eles estavam vivendo em uma cultura muito pagã. Divórcio e novo casamento eram extremamente comuns, naqueles dias não era difícil alguém ter se casado 20 vezes. Muitas dessas pessoas que tinham se casado, divorciado, casado novamente, divorciado, e casado novamente, tinham se tornado cristãs e algumas delas estavam casadas com não cristãos. E eles estavam se perguntando: Agora que sou um Cristão, o que devo fazer? Eu deveria me divorciar, porque talvez a solteirice seja mais espiritual, ou deveria continuar casado? Se eu sou solteiro, e o casamento é mais espiritual, deveria me casar? Aparentemente escreveram a Paulo fazendo esse tipo de perguntas.

De fato, não temos as cartas que eles escreveram, mas temos as cartas que Paulo escreveu respondendo às suas perguntas. Pulamos então para capítulo 7, onde Paulo diz no versículo 1: “Quanto aos assuntos sobre os quais vocês escreveram…”.e ele passa a falar sobre questões de casamento, divórcio, novo casamento e solteirice. Ele começa a falar sobre casamento nos 6 primeiros versículos, e depois continua nos versículos 10 a 16.

Nós não vamos entrar em detalhes sobre aquela passagem, mas eu quero dar a vocês uma visão geral. A essência do que ele está dizendo é, “Casamento é um dom, há algumas bençãos associadas ao casamento. Há também alguns desafios, e às vezes estar casado é maravilhoso porque é um dom de Deus. Às vezes você não quer continuar casado, mas tem que continuar – porque este é o plano de Deus, esta é a perspectiva de Deus e Seu propósito.”

Agora que acabamos de dar uma olhada nesses primeiros versículos, quero lembrá-la de voltar a uma passagem como essa, lendo-a como se você fosse uma mulher solteira pensando que o casamento satisfaria todas as suas necessidades. Será que você pensa que o casamento irá resolver todos os seus problemas – eu sei que ninguém realmente pensa assim – mas quantas de nós já tivemos aqueles pensamentos subconscientes de que a vida seria mais fácil se eu fosse casada ou poderia ser melhor se eu fosse casada? Quando você pensar assim, volte aos ensinos de Paulo sobre o casamento e perceba que todo aspecto da vida precisa da Cruz. Isso requer que morramos para nós mesmas, que nos livremos do egoísmo, e vivamos para Deus e para os outros.

Basicamente, Paulo está dizendo que se você entrar em um casamento para ter suas próprias necessidades atendidas, “Esteja pronta para se decepcionar”. Essa é uma paráfrase moderna real dessa passagem, a ênfase aqui não é ter suas necessidades satisfeitas no casamento, mas em atender às necessidades do seu parceiro. Então, começando do primeiro versículo e continuando no segundo, ele chama todos os cristãos a viver uma vida de pureza moral.

Verso 1 do capítulo 7, diz: “Quanto aos assuntos sobre os quais vocês escreveram, é bom que o homem não case,” ou alguns tradutores escreveram “não tenha relações sexuais com uma mulher”. E “…é bom que esteja solteiro,” é bom não se casar. Ele vai falar sobre aspectos bons desse ponto de vista.

“Mas quero que vocês evitem a imoralidade; quero que vocês sejam sexualmente puros.” Então Deus deu a provisão do casamento e um dos propósitos do casamento é prover um contexto por meio do qual as suas necessidades sexuais podem ser satisfeitas e você pode satisfazer as necessidades sexuais de outro de uma forma legítima e apropriada”. Ele ainda diz: “Quando você se casar, lembre-se que é um relacionamento exclusivo; um homem, uma mulher, para o resto da vida. Cada homem deve ter sua própria esposa, e cada mulher seu próprio marido.” E ele diz, “Não apenas isso; quando você se casar, lembre-se que implica num relacionamento de dar e não de receber. E isso é uma entrega total de você mesma, não apenas um pouco de si mesma, mas se entregar inteiramente para o seu parceiro”

Paulo diz no verso 3; “O marido deve cumprir os seus deveres conjugais para com a sua mulher,” Ele deve satisfazer as suas necessidades sexuais, “e da mesma forma a mulher para com o seu marido.” Veja o verso 5; “Não se recusem um ao outro” fisicamente ou sexualmente, “exceto por mútuo consentimento e durante certo tempo, para se dedicarem à oração.” Ele está dizendo, “Quando você se casa, você escolhe se entregar para o seu companheiro. Totalmente. Você não é mais de si própria. Você se doa ao seu companheiro.” E ele continua dizendo no verso 4; “Você não apenas se doa, seu companheiro passa a ser dono do seu corpo.”

Agora se você pensa que casamento é só alegria e deleite, lembre-se disso: outra pessoa vai ter autoridade sobre você. Outra pessoa vai possuir o seu corpo. E ele diz; “O casamento é maravilhoso, é um dom, é um chamado, é uma benção; mas tem desafios, e tem responsabilidades.” Então ele diz no verso 4; “A mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim o marido. Da mesma forma, o marido não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim a mulher.”

Pulamos então para o versículo 10, e não leremos a passagem toda. Nos versos 10 a 16 ele diz que o casamento é uma aliança para toda a vida. É permanente. É para sempre. É uma Aliança. Não há saída do casamento, biblicamente e da perspectiva divina. Agora, Paulo não está dizendo isso para assustar as pessoas sobre o casamento. O casamento é ótimo, é o melhor de Deus e o plano de Deus para a maior parte das pessoas. Mas ele está dizendo, “Lembre que há responsabilidades associadas a ele.” E então Paulo diz na última parte da passagem, nos versos 14 a 16, que há um ministério de sofrimento e santificação no casamento. Talvez você tenha que viver em um casamento difícil ou doloroso e permanecer nele para a santificação e possível salvação do seu parceiro e dos seus filhos. Então, envolve sofrimento. Mas de modo geral, ele diz que o casamento é bom. É um dom.

Bem, você diz, eu sei disso, eu sei que casamento é bom. Eu poderia ter dito isso a você. Minha luta não é com o casamento, minha luta é com a solteirice. E é sobre isso que Paulo fala em seguida. Ao chegarmos no versículo 7 ele dá, o que eu penso ser, uma perspectiva incrivelmente radical sobre a solteirice e o casamento. Ele diz: “Gostaria que todos os homens fossem como eu.” Naquele ponto Paulo estava solteiro. Nós não sabemos ao certo se casou ou não. Ele pode ter ficado viúvo, nós não sabemos com certeza. Mas ao escrever isso fica claro que ele não era casado.

E ele diz, “Gostaria que todos os homens fossem como eu; solteiros. Mas … Deus dá a cada um o seu próprio dom. Uns têm esse dom, o dom do casamento; e outros têm aquele dom, o dom da solteirice” A palavra que Paulo usa é charisma, que é a mesma palavra para dom. Significa o dom da graça. Essa palavra significa um benefício não merecido de Deus. Você já tinha percebido que o casamento é um dom da graça divina? É um favor imerecido ou benefício de Deus.

Você diz, “É, eu sabia disso.” Mas você percebeu também que de acordo com este versículo, Paulo diz que a solteirice é um charisma? É um dom gratuito. É um benefício imerecido de Deus. Você vê, dentro da vontade de Deus, o casamento é um dom. E dentro da vontade de Deus, a solteirice é um dom. Ambos são bons dons se você os receber de Deus.

Raquel: Nesse podcast, falamos sobre como experimentar verdadeira alegria, independentemente de ser casada ou solteira. O ponto mais importante que a Nancy ensinou é que alegria é o resultado de concordar com a perspectiva divina – e fazer dessa perspectiva a minha própria. Isto é alegria. Concordar com Deus de que, se eu sou solteira, minha solteirice é um dom; se eu sou casada, meu casamento é um dom – ajustando a minha perspectiva para concordar com a perspectiva de Deus é o que me traz real alegria.
É fácil para uma mulher jovem pensar que o casamento é um dom de Deus. Mas você já parou para perceber que a solteirice é um dom igualmente bom?

No próximo programa a Nancy vai continuar oferecendo conselhos bíblicos sobre casamento e solteirice.
Aviva Nossos Corações, com Nancy DeMoss Wolgemuth, é uma organização que faz parte do ministério ‘Life Action’.

Clique aqui para a versão original em inglês.

Chamando as mulheres à liberdade, plenitude e abundância em Cristo. Aviva Nossos Corações é um ministério para mulheres, filial no Brasil da organização internacional Revive Our Hearts.

© 2021 Aviva Nossos Corações.