icon-newsletter

Faça as melhores perguntas quando a vida anda difícil demais

Por Jean Wilund

 

As melhores perguntas fazem a diferença. As respostas certas mudam vidas:

“Operadora 190. Qual é a sua localização?”

“Você quer se casar comigo?”

“Quem eu sou em Cristo?”

 

As respostas certas para esta boa pergunta?

Sou filha de Deus (João 1:12).

Sou completa em Cristo (Colossenses 2: 9–10).

Sou obra de Deus (Efésios 2:10).

Sou abençoada (Efésios 1:3).

Sou vitoriosa (1 Coríntios 15:57).

Sou mais que vencedora (Romanos 8:37).

 

Eu mal tinha entendido quem eu era sem Cristo (uma pecadora que precisava desesperadamente de um Salvador) quando minha líder de grupo de discipulado do ensino médio me ensinou quem eu sou em Cristo. Na faculdade, os ministérios distribuíam listas que relacionavam “Quem eu sou em Cristo?”, cheias de verdades gloriosas sobre a nossa realidade. Coloquei-as na minha Bíblia, na minha mochila e preguei na parede do meu quarto.

Sempre que o desânimo, as provações ou a ansiedade me arrastavam para baixo, ou minha autodepreciação escalava a novas alturas, eu corria para as minhas listas. Declarava cada afirmação e desejava acreditar nessas verdades. Mas minha fé fraquejava sob o peso das circunstâncias difíceis.

 

Foi aí que Deus abriu meus olhos para outra pergunta – uma pergunta ainda melhor. Aquela que Moisés perguntou.

 

A primeira pergunta de Moisés

O profeta Moisés começou sua jornada épica com Deus em uma cesta no rio Nilo. Uma princesa egípcia resgatou o bebê hebreu flutuante e o criou como um príncipe.

Mas depois ele assassinou um mestre de escravos egípcio.

O avô adotivo de Moisés – o poderoso Faraó do Egito – mandou prender seu neto. Temeroso, o príncipe fugiu para o deserto, estabeleceu-se em Mídiã, e adotou a vida tranquila de pastor de ovelhas (Êxodo 2:1-22).

Quarenta anos depois, Deus chamou Moisés do meio de uma sarça ardente.

“Eu o envio ao faraó para tirar do Egito o meu povo, os israelitas”. (Êxodo 3:10).

Moisés imediatamente fez uma pergunta razoável. “Quem sou eu para apresentar-me ao faraó e tirar os israelitas do Egito” (Êxodo 3:11).

A pergunta de Moisés não surgiu por causa de sua humildade tipo “Eita”, mas do estado de choque tipo “você-está-de-brincadeira-comigo”. A missão de Deus exigia confiança inabalável. Moisés provavelmente tinha mais confiança na capacidade da sarça de confrontar Faraó do que na sua própria.

A resposta de Deus à pergunta de Moisés não foi: “Não tenha medo! Você tira de letra.” Ele não entregou ao trêmulo pastor de ovelhas uma lista sobre “Quem eu sou em Cristo?”. Pelo contrário, Deus disse: “Eu estarei com você.”

Então Moisés fez outra pergunta. Uma pergunta melhor.

 

A melhor pergunta de Moisés

Moisés disse a Deus, “Quando eu chegar diante dos israelitas e lhes disser: O Deus dos seus antepassados me enviou a vocês, e eles me perguntarem: ‘Qual é o nome dele? ’ Que lhes direi” (Êxodo 13:3)

 

Em outras palavras, “Quem és Tu, Deus?”

A resposta de Deus disparou das páginas da minha Bíblia e infundiu-me com mais coragem, paz e alegria do que todas aquelas minhas listas que afirmavam “Quem eu sou em Cristo?”.

Deus disse à Moisés, “EU SOU O QUE SOU.”
(Êxodo 3:14)

EU SOU tudo que você precisará para cada momento da sua vida.

 

Não se trata de quem somos. Trata-se de  quem Deus é.

Deus poderia ter feito a sarça ardente criar pernas e entregar Sua mensagem ao Faraó. Não importava quem Moisés era. Ele não precisava acreditar em si mesmo e no que ele poderia fazer. Ele precisava acreditar em quem Deus é.

Como disse o major Ian Thomas (fundador do Torchbearers Bible College): “Qualquer arbusto velho servirá enquanto Deus estiver no arbusto”.

A verdade de que Deus é o Grande EU SOU—tudo que Moisés precisaria para cada momento—fortaleceu a fé de Moisés e transformou sua dúvida em si mesmo em confiança em Deus.

 

Todo o poder pertence a Deus

Ao longo dos mais de quarenta anos de ministério de Moisés, ele nunca realizou um milagre. Foi Deus quem fez.

O Grande EU SOU transformou o rio Nilo em sangue. Moisés meramente bateu na água com seu cajado ao comando de Deus (Êxodo 7: 14-25).

O Grande EU SOU cobriu o Egito com rãs, gafanhotos e escuridão. Moisés apenas fez o que Deus lhe disse para fazer e disse o que Deus lhe disse para dizer (Êxodo 8–10).

O Grande EU SOU salvou os filhos primogênitos de Israel, dividiu o Mar Vermelho e tirou Seu povo da escravidão para a Terra Prometida. Não foi Moisés (Êxodo 11–14, Josué 3).

Moisés foi o porta-voz escolhido por Deus, Seu fervoroso embaixador, mas ele não era Deus. Seu poder veio do Todo-Poderoso que o enviou, o acompanhou e trabalhou por meio dele.

 

Deus, lembra-me quem és

Ao seguir Moisés pelo deserto, o povo de Israel provou ser um bando de indisciplinados (e incrédulos). O fardo dessa horda de rebeldes desgastou Moisés. Mas desta vez ele não disse a Deus: “Quem sou eu?” Ele disse: “Peço-te que me mostres a tua glória!” (Êxodo 33:18).

Deus, lembra-me quem Tu és!

Deus disse a Moisés: “Diante de você farei passar toda a minha bondade, e diante de você proclamarei o meu nome: o Senhor.” (Êxodo 33:19).

O nome do Senhor abrange tudo o que Ele é – todos os Seus atributos incomparáveis. Uma verdadeira compreensão de Seu caráter lança fora todos os nossos medos e esmaga todo o nosso orgulho. E isso nos deixa de joelhos em humilde adoração.  Este Deus que habitou entre Israel nos dias de Moisés vive em nós hoje. E Ele prometeu nunca nos deixar ou nos abandonar.

Com tal privilégio e promessa, por que perderíamos tempo fixados em quem somos? Qualquer grandeza em nós não vem de nós mesmas. É de Deus.

 

“Quem sou eu em Cristo?” versus “Quem és, Deus?”

“Quem sou eu em Cristo?” é uma das melhores perguntas que podemos fazer, especialmente quando nos leva a examinar se estamos realmente em Cristo.

Se não estivermos, a resposta para “Quem és, Deus?” nos fará tremer diante Dele no Dia do Julgamento, como o Egito fez quando Deus trouxe o julgamento sobre eles ou nos curvaremos em rendição a Jesus como Senhor.

Se estamos em Cristo porque colocamos nossa fé em Jesus, a questão de “Quem sou eu?” está resolvida. Podemos, então, tirar nossa atenção de nós mesmas e concentrar o resto de nossas vidas na pergunta melhor: “Quem és, Deus?”

Se você está de luto pela perda de um ente querido, qual é a verdade que te dá mais forças para sair de sua angústia? Que você é filha de Deus? Ou que Deus é o governante onisciente e bondoso que orquestra todos os eventos de nossas vidas e não comete erros? Que Ele é o Grande EU SOU – tudo que você precisa para cada momento?

Quando as provações ameaçam esmagá-la, qual verdade lhe dá mais paz e conforto? Que você é “mais do que vencedora?” Ou que Cristo, nosso Salvador vitorioso e compassivo, é a sua força e a sua alegria. Que de Suas gloriosas e abundantes riquezas, Ele te dá o poder que você precisa para estar contente em todas as circunstâncias? E que este Grande EU SOU, que ninguém pode parar, cuida de você?

Nosso valor não está em quem somos, mas a quem pertencemos e quem Ele é.

 

Cuidado com o bezerro de ouro

Pela bondosa graça de Deus, os cristãos são co-herdeiros com Cristo, mas não somos co-Deus. O pecado nos tenta a buscar essa posição. Querer o que Adão e Eva queriam no Jardim – o que Satanás prometeu: “Você será como Deus”.

Essa mesma natureza pecaminosa nos leva a distorcer as declarações gloriosas de quem somos em Cristo em uma obsessão autocentrada, um ornamento de ouro. “Eu sou abençoada. Eu sou vitoriosa Eu sou . . . Eu sou . . . EU SOU . . . ”

E de repente, sem darmos conta, chegamos ao ponto de sermos objeto de nossa atenção e afeto. Nós criamos um bezerro de ouro que pode ser destruído em um instante, digno de ser reduzido a pó (Êxodo 32:20).

João Batista disse bem: “É necessário que ele [Jesus] cresça e que eu diminua.” (João 3:30).

 

As melhores perguntas nos levam a Deus

Na próxima vez que você (ou outra pessoa) questionar sua capacidade ou Deus a chamar para uma tarefa “impossível”, considere sua reação.

Seu coração estremece como Moisés diante da sarça ardente? Você lamenta, “Quem sou eu?” Ou gaba “EU SOU”?

Ou você fixa seus olhos naquele que é o verdadeiro EU SOU e diz a Ele: “Por favor, Senhor, me lembra quem Tu és? Traga à minha memória o que sei a Teu respeito.”

 

Fazer a melhor pergunta – a pergunta certa – faz toda a diferença. Acreditar na resposta certa muda a sua vida:

DEUS É

O Grande EU SOU
Sabedoria
Amor
Todo Poderoso
Onisciente
O Criador Supremo
Imutável
Justo Juiz
Incompreensível
Compassivo
Santo
Transcendente
Soberano
Compassivo
Gracioso
Misericordioso
Eterno
Deus

“EU SOU O QUE SOU.”

 

Êxodo 3:14

https://www.reviveourhearts.com/true-woman/blog/ask-best-questions-when-life-too-hard/

Chamando as mulheres à liberdade, plenitude e abundância em Cristo. Aviva Nossos Corações é um ministério para mulheres, filial no Brasil da organização internacional Revive Our Hearts.

© 2021 Aviva Nossos Corações.