icon-newsletter

O desgosto por trás da minha máscara

Por Shannon Popkin

 “Eu não acredito que a nossa igreja não esteja exigindo que todos usemos máscara!”

“Eu não acredito que a nossa igreja está exigindo que todos usemos máscaras!”

“Eu não acredito que as pessoas ainda não confiam em Deus com esse vírus!”

“Eu não acredito que as pessoas ainda não amam seus vizinhos a ponto de usarem uma máscara!”

Parece que nunca foi tão fácil ficar magoada ou ofendida como é nos dias de hoje. Os nervos andam à flor da pele, divisões por toda a parte. A paciência é escassa. E não há máscara capaz de cobrir o desgosto das acusações que os nossos corações vomitam.

Desgosto pode parecer uma resposta natural quando eu encontro alguém que pensa tão diferentemente de mim – especialmente quando ela é da minha própria igreja ou família. Mas eu preciso considerar o efeito que o meu desgosto tem sobre mim, e sobre a Igreja no todo.

O que o desgosto diz

Suponha que eu ache que todos devam usar máscaras, mas você não. Ou, suponha que eu ache que as máscaras são um exagero, e você não.

Opiniões diferentes como essas são aceitáveis na Igreja, mas o que não é aceitável é: uma atitude com desgosto para com alguém que veja de forma diferente.

Meu desgosto sempre faz duas afirmações. Ele revela o que eu penso sobre você: você está abaixo de mim. Mas isto também revela o que eu penso sobre mim mesma: eu sou superior. Eu não posso baixar meu nariz para você sem que eu levante a mim mesma, então o meu desgosto condescendente e minha superioridade são indissolúveis.

O desgosto diz: eu estou certa. Minha opinião é a mais importante. Eu sou mais importante do que você. É claro que eu nunca diria essas coisas, mas meu revirar de olhos e meu dedo apontado dizem por mim. Mesmo que metade do meu rosto esteja coberta pela máscara, o desgosto do meu tom, ou dos meus olhos, mostram o meu senso de superioridade.

Noutras palavras, o meu desgosto mostra todo meu pecado.

Porque o desgosto é pecado

Uma vez Jesus criou esta estória para pessoas que “confiavam em sua própria justiça e desprezavam os outros” (Lucas, 18:9). Parece algumas das pessoas que tenho encontrado em 2020 – incluindo aquela que me olha de volta no espelho.

A estória era sobre um Fariseu que estava orando no templo, agradecendo publicamente a Deus por não ser nada parecido com o coletor de impostos que estava lá (Lucas, 18:9-14). Ele fez tudo certo. Aquele cara fez tudo errado. Quase se podia ouvir a zombaria do seu desgosto enquanto olhava desconfiado para o coletor de impostos, e ele achou que Deus anuía com a cabeça. Ainda assim, de acordo com Jesus, Deus viu o Fariseu como arrogante.

Deus não nos deu os certos e os errados da Bíblia para que pudéssemos nos elevar. Quando nós o fazemos – olhando uma pessoa de cima para baixo do nosso orgulho – nós mostramos que os errados somos nós.

Quando eu estou completamente convencida de que eu estou certa e ela está errada, o ultraje hipócrita vem naturalmente. Quando eu penso que Deus está anuindo com a cabeça, como o Fariseu, a minha percepção está totalmente distorcida. Meu desgosto condescendente – independente se sobre máscaras ou outra questão em que eu acho que estou certa – prova que eu sou aquele que é arrogante para Deus.

Talvez eu esteja certa sobre a questão, eu posso estar. Mas se eu trato os outros com desgosto, eu estou claramente errada – independentemente de como me posiciono sobre o problema em si.

Três maneiras com as quais o desgosto está machucando você e sua igreja

Considera as várias formas que o desgosto no seu rosto ou no seu tom está machucando você e sua igreja. Então, considere o que você deve fazer a respeito.

O desgosto divide

Suponhamos que você descobre que sua igreja não está exigindo máscaras durante o culto inteiro, o que significa que o seu marido – que possui um sistema imunológico delicado – não se sentirá confortável em comparecer. No seu ultraje, você vomita o seu desgosto por toda a página da Igreja no Facebook, deixando todos saberem que que agora você frequentará a igreja do fim da rua onde todos usam máscara porque eles são, obviamente, menos egoístas e investem em amar seus vizinhos.

Muitos dos seus amigos mais chegados leem seu post, decidem tomar partido de sua dor, e partem com você – deixando que todos conheçam seu desgosto e raiva. Vários outros amigos – aqueles que discordam de você – estão desgostosos com seu post conflituoso no Facebook e desfazem amizade com você.

Viu como o desgosto divide? O tom de desgosto encerra conversas, cancela colaborações produtivas e separa amizades que levaram anos para serem construídas. Por quê? Porque o desgosto é rude e humilhante, ele traz rachaduras aos relacionamentos. A última coisa que alguém deseja fazer – depois de ter sido rejeitada pelo seu desgosto – é convidá-la para o almoço para que possam continuar a conversa.

Desgosto gera mais desgosto

Minha amiga estava na rua fazendo exercício, na cidade dela, sozinha, sem ninguém à vista, quando uma motorista diminuiu a velocidade, e gritou (com desgosto) para fora da janela: “Você é tão burra! Coloque a sua máscara!” Quando minha amiga me contou isso, minha reação natural foi: “Como aquela motorista se atreveu a te tratar assim? Qual era o problema dela?” Foi então que notei o meu próprio tom de desgosto.

Viu como desgosto gera mais desgosto? Quando eu estou distribuindo, o desgosto parece uma resposta razoável, ponderada. Mas quando alguém me olha de cima para baixo com desgosto, soa como um insulto, uma provocação. Tudo que desejo fazer é dar voz ao meu desgosto para com essa pessoa – provando que eu sou superior.

Desgosto infla meu orgulho

O desgosto não aprecia a solidão. Quando eu estou desgostosa, eu desejo que os outros concordem comigo. Eu quero que seus rostos (ou seus feeds nas redes sociais) espelhem o meu desgosto quando eu disser: “você acredita nisso? Como é que pode?!” É reconfortante agrupar as pessoas que concordam que eu estou certa.

Mas, quanto mais alto eu deixo meu desgosto, mais a minha intolerância cresce. Quanto mais eu desabafo, mais me amarro à minha própria perspectiva. Quanto mais eu aumento meu público – todos em concordância comigo – mais superior eu me sinto. Quanto mais eu aponto o dedo expressando meu desgosto, mais eu cultivo meu orgulho. É como se cada respiração que dou para promover a minha crítica, inflasse um balão que diz “MEU ORGULHO”.

Chamadas para unir, não para desgostar-se

Irmãs, como cristãs nós somos chamadas para o amor e a unidade, não para o orgulho e a divisão. Como Igreja, somos chamadas a fazermos discípulos, não a nos separarmos com a nossa hipocrisia polarizadora.

Eu estou dizendo que os cristãos devem simplesmente ignorar o certo e o errado, ou substituir nossa determinação por justiça por resignação? Nem por um minuto! Estou dizendo que cada revirada de olho, cada suspiro horrorizado, e cada olhar de desgosto condescendente para aquele que pensa diferente é pecaminoso e está destruindo a unidade da Igreja.

Em sua carta a igreja de Efésios, Paulo clama para os crentes “Sejam completamente humildes e dóceis, e sejam pacientes, suportando uns aos outros com amor. Façam todo o esforço para conservar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz.” (Efésios, 4:2-3, grifos nossos).

Que contraste entre nosso chamado e nossa atitude de desgosto.

O desgosto não é humilde. O desgosto não é gentil. O desgosto não é paciente.

O desgosto repugna, não suporta. O desgosto é o oposto de amor, ele deprecia as pessoas ao invés de priorizá-las. Quando eu desmorono no desgosto, ajo contrário ao meu anseio pela manutenção da unidade.

Jesus concluiu sua estória sobre o Fariseu dizendo: “Pois quem se exalta será humilhado, e quem se humilha será exaltado”. Aqueles que exaltam a si mesmos serão humilhados, mas aqueles que se humilham serão exaltados” (Lucas, 18:14). Como as pessoas na plateia de Jesus, você e eu temos uma escolha. Na próxima vez que você tiver plena convicção que está certa e a outra pessoa está errada, como você reagirá? Você exaltará a si mesma e reagirá com desgosto condescendente – o qual Jesus disse que é definitivamente errado? Ou você será humilde, procurando manter a unidade e a paz?

Chamando as mulheres à liberdade, plenitude e abundância em Cristo. Aviva Nossos Corações é um ministério para mulheres, filial no Brasil da organização internacional Revive Our Hearts.

© 2020 Aviva Nossos Corações.