icon-newsletter

Quando Deus não age de acordo com as nossas expectativas

Por Stacey Salsbery

“Senhor, aquele a quem amas está doente”, dizia o recado que Marta e Maria enviaram com urgência a Jesus quando seu irmão, Lázaro, adoeceu gravemente (João 11:3). Em outras palavras, venha rapidamente Senhor; nós precisamos de você.

Marta e Maria acreditavam em Jesus e sabiam que Jesus poderia curar seu irmão, então é claro que Ele o faria, certo? Afinal, Jesus amava Lázaro e as amava também.

Mas com o passar das horas, enquanto Jesus atrasava, Lázaro chegou a falecer. Onde Ele está? Ele não se importa? Ele não percebe a gravidade da situação de Lázaro? Talvez esses exatos pensamentos não estavam passando pelas mentes de Martha e Maria, mas certamente seriam os meus pensamentos.

Enquanto esperavam a chegada de Jesus, visualizo Marta andando de um lado para o outro e Maria ansiosa ao lado de seu irmão. Ele virá, Lázaro. Ele virá. Espere um pouco mais. Mas Jesus não veio – pelo menos não quando elas esperavam, nem quando elas pediram, e muito menos quando elas queriam que Ele viesse. E então, Lázaro morreu porque Jesus os amava.

 

Como assim? O que foi que você disse?

 

João 11:5-6 diz, ‘Jesus amava Marta, a irmã dela e Lázaro.
No entanto, quando ouviu falar que Lázaro estava doente, ficou mais dois dias onde estava.’ (ênfase da autora)

⁠Jesus não apareceu e Lázaro morreu porque Jesus os amava. Apesar de parecer ao contrário, essa é a mais pura verdade, não é? Num piscar de olhos eu embarcaria no primeiro voo, ou sairia correndo de carro se recebesse a notícia da morte iminente de uma querida amiga. Mas Jesus não. Ele permaneceu onde estava por mais dois dias.⁠

 

Porque Jesus nos ama, Ele realiza o Seu plano

Sabendo o quanto Jesus amava esta família (da mesma forma que ama todas as nossas famílias), creio que Jesus ansiava ir até eles. Mas o plano de Deus incluía algo muito maior do que a chegada de Jesus no tempo deles, e Jesus os amava o suficiente para realizar o plano de Deus, embora isso lhes causasse dor. (Leia de novo caso seja preciso.)

⁠O que parece lógico para nós é o seguinte: se Deus realmente me amasse, Ele tiraria essa dor de mim. Ele não deixaria essa coisa terrível acontecer. Mas louvado seja o Senhor, porque Deus não tirou a dor de Cristo, ou viveríamos eternamente na dor.

⁠Quando passamos por dificuldades, nossa tendência natural é correlacionar a dor com a ausência do amor de Deus, mas isso simplesmente não é verdade. Deus nunca deixou de amar Jesus, mas pendurado na cruz, Jesus sentiu mais dor do que jamais poderíamos imaginar. Deus não deseja que experimentemos dor, mas para a realização do Seu propósito maior, Ele permite.

E como Jesus amou Marta e Maria, Deus nos ama o suficiente para permitir nossa dor, porque Ele nos ama o suficiente para executar Seu plano – um plano que podemos não entender agora, mas um plano que é bom, correto, santo e confiável.”

 

Porque Jesus nos ama, Ele nos faz esperar

Jesus chegou quatro dias após a morte de Lázaro. Os judeus acreditavam que a alma partia do corpo no quarto dia, então, da perspectiva de Marta e Maria, o caso estava encerrado. A morte levou Lázaro e não havia nada que alguém pudesse fazer a respeito. (Exceto Jesus, é claro.)

A soberania de Deus prevalece nesta história. Desde o momento em que os mensageiros chegaram com a notícia da morte iminente de Lázaro, até quando o chamou para fora do túmulo, Jesus estava no controle. Mas o destaque não é Jesus correndo para atender o pedido de Marta e Maria; ao contrário, Ele demonstra sua soberania permitindo que elas passassem por uma espera angustiante, direcionando o foco à autoridade de Deus.

As irmãs passaram por alguns dias difíceis (e imagino confusos) antes da chegada de Jesus. Talvez você se sente assim agora. Se esse for o seu caso, deixe-me encorajá-la: a longa e insuportável espera de Marta e Maria tinha um propósito, criar um espaço para que a obra maravilhosa de Deus brilhasse ainda mais. Marta e Maria não viram apenas Jesus restaurar a saúde de seu irmão – elas viram Jesus trazer seu irmão de volta à vida.

Esperar não indica (e nunca indicará) que Jesus seja insensível aos nossos sentimentos. A história de Lázaro revela que não é esse o caso. Quando Jesus encontrou Marta, Ele a confortou com palavras, sabendo que era exatamente disso que ela mais precisava. Mas quando Jesus viu as lágrimas de desespero de Maria, Ele ficou “profundamente comovido em seu espírito e muito perturbado” (João 11:33) e conectou com Maria de uma maneira muito diferente: por meio de suas próprias lágrimas.

Minha amiga, o plano de Deus para nós pode incluir alguns tempos difíceis de espera, mas tenha a certeza de que Cristo não está indiferente aos seus sentimentos. Ele é compassivo, Seu coração é terno, e Ele prometeu caminhar ao nosso lado diariamente, quaisquer que sejam as nossas circunstâncias

 

Porque Jesus nos ama, Ele revela a glória de Deus

Pouco antes da pedra ser removida e Lázaro ressuscitar, Marta tenta impedir que Jesus abra o túmulo devido ao forte cheiro de um corpo morto há quatro dias. Mas Jesus disse a ela: “Não lhe falei que, se você cresse, veria a glória de Deus?” (João 11:40).

Sim, as irmãs suportaram alguns dias difíceis e confusos, mas foi com o propósito de ver a glória de Deus, que pode não fazer o que esperamos, nem o que pedimos, e muito menos o que queremos – pois Ele é o único que pode fazer muito mais.

Portanto, não desista se Deus não estiver respondendo às suas orações da maneira que você esperava; Deus tem um plano glorioso. “Considero que os nossos sofrimentos atuais não podem ser comparados com a glória que em nós será revelada”. (Romanos 8:18). Assim como Jesus assegurou à Marta, se acreditarmos, também veremos a glória de Deus.

Louvado seja o Senhor porque Jesus amou Lázaro, Marta e Maria o suficiente para realizar Seu melhor plano, embora isso lhes causasse muita dor. Pois depois da tristeza veio o Salvador, depois da ferida veio a cura, e depois da espera veio a revelação.

Mesmo quando não entendemos, podemos confiar que Deus está trabalhando Seu plano melhor. “Como são felizes todos os que nEle esperam!” (Isaías 30:18)

 

https://www.reviveourhearts.com/true-woman/blog/when-god-doesnt-do-what-we-expect/

Chamando as mulheres à liberdade, plenitude e abundância em Cristo. Aviva Nossos Corações é um ministério para mulheres, filial no Brasil da organização internacional Revive Our Hearts.

© 2021 Aviva Nossos Corações.