icon-newsletter

Sete lições de Jesus quando a vida parece insuportável

Por Jean Wilund

 

Quando foi a última vez em que você sentiu a vida insuportável? O ditado, “Quando chove, chove pesado” descreve algum período de sua vida?

Muitas de nossas provações são pouco mais do que um chuvisco irritante num dia agradável: Estamos atrasadas para o trabalho. O computador congela. A enfermeira da escola liga para dizer que Joãozinho está com febre. Outras vezes, a vida abre as comportas e nos deixa agarradas à beira de um bote salva-vidas, nos esforçando ao máximo para entrar nele. Ou pior, estamos nos afogando sem nenhum bote salva-vidas à vista.

Outra noite não sabia com certeza se estava enfrentando um chuvisco, um dilúvio ou uma inundação cataclísmica. Já era tarde, e minha filha deveria ter chegado em casa há tempos.

Liguei para o celular dela. Sem resposta.

Liguei de novo. Outra vez. Mais uma vez.

O pânico não se infiltrou nas bordas do meu coração. Ele invadiu e encenou um motim com uma de suas armas mais poderosas – e se? Esta mensagem do juízo final apareceu, arrastando meu coração e minha mente para um lugar escuro onde eu me esforcei para enxergar a verdade além do que estava sentindo.

Tenho treinado minha mente para seguir a verdade e confiar na bondosa soberania do Senhor, mas esta situação revelou que meu treinamento está longe de terminar.

A vida parecia insuportável.

 

Gerenciamento de crises: como você age?

Quando surge uma crise, você assume um medo paralisante, incapaz de fazer qualquer coisa a não ser tentar controlar o pânico? Ou é mais provável que você se esconda atrás de um mecanismo projetado para suportar a dor ou distraí-la? Será que você é uma daquelas que arremete no “modo maníaco”, determinada a impor sua vontade sobre a situação?

Felizmente, Deus nos mostrou um caminho melhor quando a vida parece insuportável: o caminho de Jesus no jardim do Getsêmani.

“Então Jesus foi com seus discípulos para um lugar chamado Getsêmani e disse-lhes: “Sentem-se aqui enquanto vou ali orar”. Levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se. Disse-lhes então: “A minha alma está profundamente triste, numa tristeza mortal. Fiquem aqui e vigiem comigo”.” (Mateus 26:36-38)

A hora de Jesus havia chegado. A agonia da cruz havia começado.

Depois de compartilhar a Última Ceia com Seus discípulos, Jesus os conduziu ao Jardim do Getsêmani para orar. A angústia foi tamanha que o Seu “suor se tornou como grandes gotas de sangue que caiam no chão” (Lucas 22:44).

Por mais que eu agonizasse quando não conseguia contatar a minha filha, não suava sangue.

O que Jesus fez em Seu sofrimento nos ensina como podemos enfrentar o sofrimento e avançar para o outro lado da dor em direção à alegria. Ele nos ensina a fazer mais do que apenas suportar o insuportável.

Sete lições de Jesus quando a vida parece insuportável

 

1. Prostre-se com o rosto em terra perante o Pai e ore

“Indo um pouco mais adiante, prostrou-se com o rosto em terra e orou”. (Mateus 26:39)

Jesus era perfeito e justo em Sua natureza divina, mas Ele assumiu a forma humana. Sendo totalmente Deus e totalmente homem, Ele sentiu cada grama de dor excruciante diante Dele. O peso do custo repugnante que Ele suportaria na cruz teria nos esmagado. No entanto Ele deixou de lado Seus direitos como Deus e humildemente prostrou-se diante de Seu Pai. E Ele orou.

A oração não muda os planos de Deus. Ele alinha nossos corações e planos com os Dele. Isso nos lembra que podemos confiar Nele – que Seus caminhos são sempre perfeitos e levam à alegria suprema.

Quando a vida a dominar, se prostre humildemente perante seu bondoso e sábio Pai, em total entrega e oração. Coloque sua mente em Cristo, Aquele que nunca falha. Seu Espírito é nosso Consolador e Mestre. Ele trará à sua mente tudo que você precisa saber. (Observe que eu disse tudo que você precisa saber – não tudo que você deseja saber.)

 

2. Morra para a sua própria vontade

“Meu Pai, se for possível, afasta de mim este cálice; contudo, não seja como eu quero, mas sim como Tu queres”. (Mateus 26:39)

É difícil se render a algo que irá destruí-la? Pode ser mais difícil do que você pensa. Nossa vontade é teimosa e a dor é real. A ira de Deus é terrível. Jesus abominava a ideia de beber a última gota do cálice da ira de Deus pelo pecado – a ira que merecemos, não Cristo.

Como Deus, Jesus poderia ter se recusado a ir à cruz para suportar o insuportável. Sua carne ansiava por evitar a ira de Seu Pai, mas Ele sabia que isso levaria à nossa destruição. Ele morreu para Sua própria vontade porque confiou totalmente na de Seu Pai.

Nossa vontade carnal é uma armadilha que não leva ao bem. Quanto mais cedo aceitarmos isso, mais fácil será para morrermos para nossa vontade. Em todas as coisas e em todos os momentos, Jesus nunca duvidou de Deus. Não temos razão para duvidar Dele também.

Confie na vontade de Deus sobre a sua. Se você deve duvidar de algo, duvide de suas dúvidas, não de Deus.

Morra para sua própria vontade, pela fé e por causa daquele que morreu por você.

 

3. Entenda seus limites e dependa no Espirito Santo

“Então, voltou aos seus discípulos e os encontrou dormindo. “Vocês não puderam vigiar comigo nem por uma hora? “, perguntou ele a Pedro. “Vigiem e orem para que não caiam em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca”. (Mateus 26:40-41)
Quando meus filhos eram pequenos, diziam: “Você não confia em mim”. Eu respondia: “Não é em você que não confio. É a natureza humana em você. E você também não deve confiar. “

Nossa carne (nossa natureza humana) é tão fraca quanto os discípulos eram quando não conseguiram ficar acordados e orar. Mas temos algo que eles não tinham. Deste lado da cruz, temos o poder do Espírito que habita em Cristo.

Mesmo enquanto nossa velha natureza pecaminosa nos agarra querendo nos arrastar para baixo, e o inimigo nos tenta a duvidar e temer, temos o poder que ressuscitou Jesus dos mortos para nos capacitar a andar pela fé, não cair de medo.

Entenda seus limites humanos, mas lembre-se de seu Senhor ilimitado. Dependa de Seu Espírito para tudo que você precisa para trilhar o caminho que Ele estabeleceu para você.

Lembre-se também de que Jesus está no céu e intercede por você (Hebreus 7:25; Romanos 8:34). Nem mesmo as orações da sua mãe são melhores que isso.

 

4. Abrace a vontade do Pai

“E retirou-se outra vez para orar: “Meu Pai, se não for possível afastar de mim este cálice sem que eu o beba, faça-se a tua vontade”.” (Mateus 26:42)

Deus tem um propósito bom e santo para tudo que Ele permite, incluindo o mal (Provérbios 16:4). Jesus não questionou isso. Ele abraçou a vontade do Pai pela alegria colocada diante dEle – a salvação de Seus filhos (Hebreus 12:2).

Jesus não simplesmente aceitou a vontade de Deus; Ele a abraçou. (Se na sua adolescência você foi a última pessoa escolhida para fazer parte de um time, e não a primeira, você sabe a diferença entre aceita e abraçada.)

Confie na vontade de Deus com a pura fé de Jesus. Abrace-o pela alegria apresentada a você – os bons e santos propósitos de Deus, por mais misteriosos que sejam.

Pode ser que Deus nem sempre responda às suas orações como você gostaria, mas Sua resposta será exatamente o que você escolheria se soubesse o que Ele sabe.

 

5. Persevere em oração

“Quando voltou, de novo os encontrou dormindo, porque seus olhos estavam pesados. Então os deixou novamente e orou pela terceira vez, dizendo as mesmas palavras.” (Mateus 26:43-44)

Os discípulos não tinham a mínima ideia do que as próximas vinte e quatro horas reservariam para eles – e para Jesus. Se eles soubessem que Judas estava a caminho com um exército, seus olhos provavelmente estariam bem acordados de medo, não pesados de fadiga. Mas Jesus sabia. E Ele não orou apenas uma ou duas vezes. Ele batalhou em oração.

Nas violentas tempestades, nossas orações devem ser igualmente ferozes. Batalhe em oração. Jamais desista.

Como Deus trabalha por meio da oração é um mistério, mas Ele prometeu que há um tremendo poder nisso (Tiago 5:16). Ele nos chama a “orar sem cessar” (1 Tessalonicenses 5:17).

 

 6. Levante e siga em frente

“Depois voltou aos discípulos e lhes disse: “Vocês ainda dormem e descansam? Chegou a hora! Eis que o Filho do homem está sendo entregue nas mãos de pecadores.
Levantem-se e vamos! Aí vem aquele que me trai!” (Mateus 26:45-46)

Enquanto Jesus batalhava em oração, Seus discípulos dormiam e acordavam. E então chegou a hora de ir. Seu traidor estava próximo.

Minha natureza humana diz que a hora de começar era antes de Judas chegar com seu bando de soldados e que as orações de Jesus pareciam ineficazes. Sua situação não mudou. Judas ainda o traiu. Os judeus que deveriam tê-lo adorado ainda clamaram por Sua crucificação. E Ele bebeu da ira de Deus pelo pecado. Mesmo assim, Jesus disse: “Levantem-se, vamos embora”.

Seja o que for que você precise enfrentar, depois de orar e liberar sua vontade, e depois de aceitar a vontade de Deus, levante-se e vá em frente. Cristo nunca vai te deixar ou abandonar. Mantenha seus olhos em Seu caráter fiel e siga em frente.

Lembre-se, os passos de Jesus o levaram à cruz, onde apenas o discípulo João e sua mãe permaneceram ao Seu lado.

E então veio a ressurreição.

 

7. Ande no poder da ressureição

“Com grande poder os apóstolos continuavam a testemunhar da ressurreição do Senhor Jesus, e grandiosa graça estava sobre todos eles.” (Atos 4:33)
Muita coisa mudou depois do cochilo dos discípulos no jardim. De dormir quando deveriam estar orando para pregar com “grande poder” após o Pentecostes, Cristo transformou Seus discípulos por causa do fardo que Deus O chamou para carregar.

Cristo agonizou no jardim a ponto de suar sangue, mas Sua mente permaneceu fixa no Pai e em Sua vontade. E na ressurreição.

Quando a vida estiver desmoronando, prostre-se perante o Pai e ore. E então levante e siga em frente no poder do Seu Espírito. Lembre-se, seja o que for que Deus chame Seus filhos para suportar, não será o nosso fim. A ressurreição está chegando (Romanos. 6:5; Apocalipse 20:1-15).

Não tema. Siga onde Cristo a levar – mesmo quando Ele a levar a lugares terríveis, como ser traída por uma amiga, pregada em uma cruz cruel ou sentar-se nos degraus da frente de sua casa desejando que os faróis de sua filha despontassem à distância em direção a casa.

Quando chove, chove pesado

Quando os problemas despencam sobre nós e a vida parece insuportável, o medo, a raiva e o desespero frequentemente fluem de nossos corações. Aquele que se prostra diante de Deus em total rendição e se recusa a duvidar Dele, pelo contrário, se ergue na fé, seguirá em frente e derramará paz, alegria e contentamento . . . bem diferente de mim naquela noite.

Eis o final da história:

Sentei nos degraus na frente de casa e me entreguei a um pânico terrível. E então meu celular tocou – minha filha!

Os amigos a convidaram para ir nadar. Já que piscina não é lugar para celular, ela não atendeu minhas ligações. Todas elas.

Ela se sentiu péssima por ter me deixado preocupada. Eu me senti péssima por ter cedido ao medo.

Em retrospectiva, agradeço a Deus que me deixou passar por essa tempestade porque expôs as fraquezas da minha fé, e eu precisava enxergar isso.

Ele revelou orgulho oculto em meu coração que me levou a expressar: “Eu confio em Ti, Senhor, não importa o que aconteça” e ainda murmurar baixinho: “Mas não se atreva a cruzar a linha do que eu considero aceitável.” Isso não é fé. Esse não é o jeito de Jesus. É o caminho da destruição e do desespero. Em vez disso, o caminho de Jesus derrama bênçãos e paz indescritível, mesmo em meio às turbulências. Mesmo quando chove canivetes.

https://www.reviveourhearts.com/blog/seven-lessons-jesus-when-life-feels-unbearable/?fbclid=IwAR2fcVdZmZcBrPkabU-u31VSt5AcwjsMkPT7DmPqL61VvxcwgPwDCsrSkGU

Chamando as mulheres à liberdade, plenitude e abundância em Cristo. Aviva Nossos Corações é um ministério para mulheres, filial no Brasil da organização internacional Revive Our Hearts.

© 2021 Aviva Nossos Corações.