icon-newsletter

Cumprindo papéis bíblicos

Publicadas: jan 03, 2022

Raquel Anderson: Nancy DeMoss Wolgemuth diz que a relação entre homens e mulheres é muito mais do que somente… bem, homens e mulheres.

Nancy DeMoss Wolgemuth: Essas diferenças entre homem e mulher, entre marido e mulher, entre masculino e feminino que se destinavam a complementar um ao outro, deveriam nos fornecer uma imagem de como Deus é. Elas deveriam nos fornecer uma imagem da redenção, do amor de Cristo Salvador por Sua Igreja.

Raquel: Esse é o Aviva Nossos Corações com Nancy DeMoss Wolgemuth. Existe alguma diferença entre homens e mulheres? Deus nos criou únicos ou somos basicamente iguais? Nancy começou a abordar essa importante questão na semana passada em uma série chamada Uma Visão para a Feminilidade Bíblica. Como ouviremos hoje, esse é um tópico importante que ressalta as suas crenças sobre Deus. Aqui está Nancy na voz de Renata Santos.

Nancy: Recebemos um e-mail interessante no Aviva Nossos Corações, outro dia. Vou compartilhá-lo com vocês. Essa pessoa disse: Você deve ter notado pelo meu nome que eu sou um homem e sim, todo esse rosa do site me deixa um pouco desconfortável! (Bom, o site foi criado para mulheres). Mas, quero dizer que estive ouvindo seu programa (nós permitimos que os homens nos espionem, embora a nossa abordagem específica nesse programa seja para mulheres) e conforme eu ouvia mais, comecei a fazer a mim (e ao Senhor) a pergunta de Provérbios 31:10: Mulher virtuosa, quem a achará?!

Ele estava falando de quando eu ensinei sobre Provérbios, capítulo 31 sobre a mulher de Provérbios 31. Quem pode achar uma mulher como aquela? Ele disse: Tenho vivido cercado por mulheres fortes que assumem a liderança ao longo dos meus 19 anos de vida e digo para mim mesmo: “Talvez pareça sexista ou algo assim, mas eu não quero uma esposa assim!” Minha líder do grupo de jovens é uma mulher que diz que as mulheres que se tornam apenas donas de casa são coisa do passado. Ela me diz para desistir da vontade de ter uma esposa assim porque, imagine só se ela quisesse ter seu próprio ministério? Então, ao ouvir as coisas que você ensina, imaginei que talvez muitas mulheres fossem desligar os rádios quando o seu programa veio ao ar (e talvez algumas façam isso), mas fiquei impressionado com os comentários que ouvi de outras mulheres sobre as suas mensagens. Me assustou saber que, ainda hoje, existem mulheres por aí que querem ser essa mulher de Provérbios 31! Pessoalmente, quero uma mulher que possa me fazer sentir como um homem, que possa entender minha liderança e me respeitar. Por aí há poucas com esse ideal. Comecei a compartilhar sobre seu ministério com a moça de quem eu gosto. Eu gostaria que ela se tornasse essa mulher piedosa, mesmo que a gente nãos e case no futuro. Mas, deixe que eu te faça uma pergunta: este jovem de 19 anos está sendo sexista por dizer: “Quero uma mulher que possa me fazer sentir como um homem, que possa entender minha liderança e me respeitar?

• Estamos sendo sexistas neste ministério por sugerir que homens e mulheres devem ter diferentes funções e papéis dentro do corpo de Cristo e dentro do casamento?

• Quais são as implicações do ensino bíblico sobre masculinidade e feminilidade?

• Como isso realmente deve ser vivido?

• Como é isso se reflete em casa, na igreja e em outras esferas e relacionamentos na vida?

Nas últimas décadas, os teólogos adotaram dois termos para caracterizar duas posições básicas relacionadas às funções e papéis de mulheres e homens em casa e na igreja. Dentro dessas posições existem tons e variações de, mas existem dois aspectos essenciais. Os dois termos que os teólogos usam são complementares e igualitários. Nesta sessão e nas próximas duas sessões, gostaria de fornecer uma visão geral básica dessas duas posições e, de cara, já posso te dizer que eu creio que a posição complementar é a mais bíblica. Vou explicar nessas sessões porque eu creio que esse seja o caso.

É importante ter nosso pensamento fundamentado na Palavra de Deus, porque se o seu pensamento sobre este assunto; e todos os outros assuntos; não está fundamentado na Palavra de Deus, então o mundo pensará por você. Seu pensamento será da maneira do mundo e você colherá as consequências de não pensar da maneira de Deus.

Além de ser importante pensarmos biblicamente por nós mesmos, também é importante sermos capazes de expor nossos pensamentos para os outros. Você precisa ser capaz de se embasar na Palavra de Deus e dizer: “É nisso que eu acredito e essa é a razão”, com relação às funções e papéis de homens e mulheres em casa e na Igreja.

Então, eu quero estabelecer uma base. Essa será apenas uma visão geral mais ampla e, como eu disse em uma sessão anterior, não há como responder a todas as perguntas ou aprofundar-se em todas as passagens da Bíblia que iremos usar. Eu só vou dar uma pincelada em algumas dessas passagens. É provável que eu levante mais perguntas do que as responda, mas sou grata porque existem alguns recursos maravilhosos disponíveis hoje para nos ajudar nesse estudo.

Sei que algumas de vocês vão querer se aprofundar. Algumas de vocês dirão: “Não sei se consigo comprar essa ideia. Não sei se consigo aceitá-la”. Bem, antes de jogar fora o que estou dizendo, separe um tempo para mergulhar na Palavra e examinar alguns desses recursos que irão ajudá-la a entender de maneira mais profunda o que vou ensinar de uma forma mais geral.

Hoje existem vários teólogos, pastores e outras pessoas que fizeram um excelente trabalho fornecendo uma estrutura bíblica e teológica para nos ajudar a entender esse problema. E, posso afirmar, que eu me baseei fortemente em alguns de seus ensinamentos.
Fui muito ajudada pelo que pessoas como o Dr. Wayne Grudem, Dr. John Piper, Bruce Ware e outros, escreveram. Eles foram mentores e professores para mim nessa área. Vou tentar extrair um pouco do que eles escreveram, que é um ensino mais pesado; uma fatia dos grandes e grossos livros e esmiuçá-los em ensinamento simples para ajudar em nossa compreensão.

Ao acessar o site do www.avivanossoscoracoes.com, você encontrará uma lista de alguns desses recursos que pode usar para estudos mais aprofundados. Nessa lista informaremos o que você pode encontrar nesses recursos e como eles podem ajudá-la. Vamos falar primeiro sobre a posição complementar. Vejamos no dicionário o que a palavra Complementar quer dizer.

O American Heritage Dictionary diz que complementar quer dizer:
1. Formar ou servir como complemento; completar
2. Suprir necessidades mútuas ou compensar carências mútuas

Temos necessidades e carências e, como homens e mulheres, complementamos uns aos outros. Nós nos completamos.

Outro dicionário (WordNet) diz o seguinte sobre a palavra complementaridade, uma palavra relacionada:
Interrelação de reciprocidade [dar e receber, indo e voltando] pela qual uma coisa complementa ou depende da outra; “a complementaridade dos sexos”.

A posição complementar em relação aos papéis e funções de homens e mulheres no lar e na igreja em particular, é resumida em um documento chamado The Danvers Statement (A Declaração de Danvers), que foi preparado por vários líderes evangélicos em Danvers, Massachusetts, em meados de 1987.

A Declaração de Danvers foi publicada em sua forma final pelo Concilio sobre Masculinidade e Feminilidade Bíblicas no ano seguinte. (Em nosso site você pode baixar uma cópia da Declaração de Danvers.) Meu incentivo é que você se aposse deste documento, que você o leia e o estude. Ele não é longo e nem complexo, mas é uma ótima visão geral de cada ponto da posição complementar.
As pessoas que assumem a posição complementar afirmam as coisas sobre as quais falamos durante as duas últimas sessões:

• Que homens e mulheres são criados à imagem de Deus e que diante Dele, eles têm igual mérito, valor e dignidade como pessoas.

• Que existem diferenças entre homens e mulheres estabelecidas por Deus.

Aqueles que assumem a posição complementar acreditam que Deus ordenou que houvesse distinções, diferenças nas funções ou papéis masculino e feminino no lar e na igreja; que existem algumas funções no lar e na igreja que são reservados para homens e algumas que estão mais sob o domínio e a responsabilidade das mulheres.

Essas diferenças entre a função masculina e feminina no lar e na igreja, permitem que homens e mulheres complementem, completem uns aos outros.

Ao cumprirmos nossos papéis únicos como homens e mulheres, refletimos algumas coisas importantes sobre Deus:

Nós refletimos o desígnio de Deus: a maneira pela qual Ele criou as coisas e a maneira pela qual Ele ordenou que elas funcionassem; refletimos a ordem criada por Deus.

A propósito, o mundo está em um estado absoluto de desordem hoje. Eu penso sobre aquele versículo em Salmos que diz que a terra está com seus fundamentos abalados (veja Salmo 82:5 NVI). A terra está em desordem. As pessoas hoje em dia estão desorientadas. Elas estão desestruturadas. Por quê? Porque elas não abraçaram, receberam e aceitaram, a ordem de Deus. Então elas estão desordenadas.

Quando agimos da maneira que Deus pretendia que agíssemos como homens e mulheres, refletimos a ordem e os papéis que existem dentro da Trindade. Nós refletimos algo poderoso sobre como Deus funciona em Seu relacionamento consigo mesmo. Nós vamos falar sobre isso mais tarde, sobre os papéis do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Quando cumprimos nossos papéis como mulheres e quando os homens cumprem seus papéis como homens, também refletimos algo incrivelmente bonito sobre o grande plano redentor de Deus, sobre o relacionamento de Deus com Sua Igreja e o relacionamento de Cristo com Sua noiva.

Agora, dissemos que os complementaristas acreditam que existem características únicas e papéis distintos que homens e mulheres devem ter no lar e na igreja. Deixe-me dizer o seguinte: Eu sei que ao tocar nesse assunto muitas ouvintes vão dizer: “Olha, agora não posso concordar. Não dá pra ficar ao seu lado nessa”.

Vou pedir para você segurar um pouco as pontas. Por favor, me ouça e depois, ore e diga ao Senhor: “Senhor, me mostre isso na Bíblia. Se essa mulher no rádio tiver entendido tudo errado, peço que o Senhor a endireite”.

Peça que Deus mostre a Sua Palavra a você. Eu só vou colocar a minha compreensão sobre isso. No centro dessas discussões de papéis e funções entre homens e mulheres está a crença na posição complementar, a crença de que Deus deu aos homens (masculino, machos) a responsabilidade primária de liderar e alimentar o rebanho de Deus.

Vou dar várias outras explicações para isso. Eu vou fazer algumas ressalvas, algumas advertências. Mas esse é um ponto de partida. Deus tem dado aos homens a responsabilidade primária de liderar e alimentar o rebanho de Deus.

Isso significa que Deus responsabilizou os homens pela direção, supervisão, liderança, provisão e proteção de suas famílias e da família de Deus.

Alguns teólogos diriam que a liderança ou o papel dos homens como cabeça no lar e na igreja foi introduzido após a Queda, que isso fazia parte do castigo do homem e da mulher. Eles diriam que Cristo veio para reverter ou desfazer os efeitos da Queda. Portanto, desde que Cristo veio, não temos mais essas distinções.

No entanto, olhando atentamente a Palavra de Deus, vemos evidências de papéis diferentes entre Adão e Eva antes mesmo de eles pecassem. Os diferentes papéis entre homens e mulheres nas Escrituras nunca devem apontar para a Queda, e sim para a maneira como as coisas eram no Éden antes do pecado corromper os nossos relacionamentos.

As diferenças entre homens e mulheres não podem ser explicadas simplesmente por tradição, criação ou cultura. Elas estão enraizadas na criação. Foi assim que Deus fez as coisas.

A propósito, creio ser essa uma das razões pelas quais tantas pessoas querem refutar todo o conceito da criação, porque se houver um Criador e Ele é Deus, então Ele tem o direito de dizer como as coisas devem ser. As pessoas não querem se curvar a forma como Deus diz que as coisas devem ser.

Deixe-me dar uma ilustração do Novo Testamento sobre como as diferenças entre homens e mulheres remontam à criação. Paulo está ensinando em 1 Coríntios 11 sobre a importância de preservarmos as distinções, os diferentes papéis entre homens e mulheres no contexto do casamento e da igreja local.

E então, ele diz o porquê disso e em sua explicação ele volta à ordem original criada. Ele diz: ” Pois o homem não se originou da mulher, mas a mulher do homem; além disso, o homem não foi criado por causa da mulher, mas a mulher por causa do homem” (versículos 8-9).

Mais uma vez, não vou explicar agora o que tudo isso significa; eu só quero ressaltar que quando Paulo diz: “Por que existem as diferenças?” ele aponta para a criação.

“A mulher foi criada como uma auxiliar e alguém que correspondesse ao homem”, diz Gênesis 2. Isso não significa que ela seja menos importante que o homem, mas, na verdade, significa que ela tem um papel diferente.

Você vê o mesmo conceito em 1 Timóteo 2:12, em que Paulo diz, falando sobre o contexto da igreja local: “Não permito que a mulher ensine nem que tenha autoridade sobre o homem”.

No versículo seguinte, ele diz o porquê: “Porque primeiro foi formado Adão e depois Eva”. Novamente, você consegue ver que ele leva o raciocínio, a lógica, de volta para a criação? Foi assim que Deus projetou as coisas.

Deus criou Adão primeiro. Isso sugere que Ele queria que Adão tivesse um papel de liderança em sua família. A ideia de papéis distintos e até da autoridade nos relacionamentos existia mesmo antes da criação.

Como assim? Isso já existia na eternidade passada, nos relacionamentos que Deus tem dentro da Trindade, no caráter do próprio Deus. É sabido que a Trindade, o Pai, o Filho e o Espírito Santo, são igualitários. Eles são equivalentes uns com os outros. Eles são equivalentes em todos os seus atributos; no entanto, existem diferenças essenciais entre as três pessoas da Trindade.

Um não é mais importante que os outros. Um não é menos importante que os outros, mas eles têm papéis diferentes. Eles são iguais em seus valores e em seus méritos, mas eles têm funções diferentes.

Portanto, podemos considerar um nobre conceito o fato de haver distinções entre papéis masculinos e femininos e nas responsabilidades no lar e na igreja. Esse é um lindo conceito. Isso é bom.

Veja, nosso pensamento está distorcido demais. Sob a ótica do mundo, ter autoridade é algo bom, mas estar sob alguma autoridade é algo ruim. Não é assim que Deus vê as coisas.

Certamente, existem abusos, mas o conceito essencial de autoridade e submissão é algo que é divino. Esses relacionamentos existem dentro da Trindade e isso deve ser adotado.

Este é o ponto em que os igualitários, teologicamente falando, diferem dos complementaristas e, deixe-me fazer uma ressalva aqui: estou fazendo algumas generalizações bem amplas.

Existem diferenças dentro dessas duas posições e existem pessoas que defendem a posição igualitária no que se refere à masculinidade e à feminilidade, que amam a Deus e que acreditam sinceramente que estão interpretando as Escrituras corretamente. Preciso que você entenda isso.

As pessoas que defendem o ponto de vista igualitário, não concordam que existam distinções criadas por Deus entre papéis masculinos e femininos no lar ou na igreja.

Eles afirmam que não é possível ter igualdade e autoridade, que é preciso fazer uma escolha entre essas coisas.

Os igualitários acreditariam que a liderança de Adão sobre Eva ou dos maridos sobre as esposas, não fazia parte do plano original, da ordem da criação original. Eles afirmam que isso foi o resultado da Queda.

Tentei mostrar que não concordo com essa afirmação. Creio que ao examinarmos o Antigo Testamento e o Novo, verá muitas evidências de que Deus já havia feito essas distinções desde o início da criação.

Veja bem, eliminando essas distinções, eliminando os conceitos de autoridade e submissão dentro de casa e dentro da igreja, eis o que acontece: eliminamos o que deveria ser uma imagem incrível do relacionamento entre Deus Pai e Deus Filho e acabamos com o que deveria ser uma bela imagem do relacionamento entre Cristo e Sua Igreja.

Essas diferenças entre homem e mulher, entre marido e mulher, entre masculino e feminino, que deveriam se complementar, deveriam nos fornecer uma imagem de como Deus é. Elas deveriam nos fornecer uma imagem da redenção, do amor de Cristo Salvador por Sua Igreja.

É isso o que lemos em Efésios 5:23. “Pois o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja”. Se eliminarmos a liderança no lar e na igreja, eliminamos a imagem de Cristo como o cabeça de Sua Igreja.

“Cristo é o cabeça da igreja”,e o versículo continua dizendo, “que é o seu corpo, do qual ele é o Salvador”. É disso que trata a redenção.

O próximo versículo continua dizendo: “Assim como a igreja está sujeita a Cristo, também as mulheres estejam em tudo sujeitas a seus maridos”.

Agora, esta não é uma série sobre submissão e há muito que podemos dizer sobre isso e muitos versículos que podemos apresentar aqui. Eu só gostaria que você visse este conceito de que a liderança de Cristo sobre Sua Igreja deve a ser retratada com homens assumindo a liderança bíblica e piedosa em suas casas e na igreja local.

A imagem da Igreja se submetendo a Cristo, seu Salvador, deveria ser retratada por esposas que se submetem de maneira alegre e inteligente à liderança de seus maridos. Você consegue ver essa imagem?

Paulo não está falando apenas sobre casamento aqui. Ele está dizendo: “Estou falando sobre a igreja. Estou falando sobre redenção. Estou falando sobre o grande mistério do relacionamento do Salvador com Sua Igreja”.

Portanto, vemos que a Bíblia afirma e sustenta os conceitos de igualdade, diferenças e unidade. É um mistério, mas todas essas coisas podem caminhar junto. Elas funcionam dentro da Trindade, existe igualdade, diferenças e unidade e entre homens e mulheres há igualdade, há diferenças e unidade. E isso, como veremos nas próximas sessões, tem implicações para todas as áreas da vida.

Deixe-me apenas dizer ao encerrarmos aqui, que o inimigo, Satanás, sempre tenta separar as coisas que Deus une. Por exemplo, Deus uniu marido e mulher em casamento. “Portanto, o que Deus uniu, ninguém o separe” [veja em Mateus 19:6; Marcos 10:9]. Satanás tenta separá-los por meio do divórcio.

Satanás também tenta unir coisas que deveriam ficar separadas. Ele tenta acabar com as diferenças e distinções criadas por Deus. Ele tenta tornar tudo igual em nome da igualdade e, em última análise, essa maneira de pensar é destrutiva para o casamento, para os homens, para as mulheres, para os filhos e para a nossa cultura.

Quando escolhemos abraçar e seguir o caminho de Deus, embora eu seja a primeira a dizer que vai contra a cultura, vai contra a corrente de nossa cultura, descobrimos que o caminho de Deus nos protege contra a desumanização das mulheres e contra a emasculação de homens.

O caminho de Deus não promove o abuso das mulheres. Ele não as suprime. Ele oferece a nós, mulheres, um contexto no qual podemos experimentar a verdadeira liberdade e a máxima plenitude e fecundidade em Cristo.

Raquel: Nancy DeMoss Wolgemuth tem demonstrado uma visão que leva à alegria e à liberdade que Deus deseja que homens e mulheres experimentem.

Agressividade. Passividade. Ambos trazem perigo para uma casa. Ouça como os papéis bíblicos são desempenhados em um casamento, no próximo episódio no Aviva Nossos Corações. Agora, vamos orar com Nancy.

Nancy: Pai, eu tentei em um curto espaço de tempo simplificar algo que é complexo. Existem muitos versículos que poderiam ser aplicados aqui e, horas e horas que poderíamos gastar mergulhando nesses versículos.
Mas eu oro para que, por meio do Teu Espírito Santo, o Senhor abra os olhos do nosso entendimento e, mais do que isso, abra os nossos corações para acolher o que está sendo dito aqui.

Agradeço, Senhor, por teres ordenado que houvesse diferenças, distinções nas funções de homens e mulheres no lar e na igreja. Ajuda-nos a entender quais são elas, a abraçá-las, a nos entregar a elas e a experimentar a Tua bênção como resultado disso em nossas vidas, em nossas casas, em nossos relacionamentos, em nossas igrejas. Como resultado disso, que possamos ser uma bênção para a nossa cultura e possamos refletir para o nosso mundo a beleza e a maravilha de quem Tu és e de Teu grande plano redentor. Eu oro em nome de Jesus, amém.

Aviva Nossos Corações com Nancy DeMoss Wolgemuth faz parte do ministério Life Action.

Chamando as mulheres à liberdade, plenitude e abundância em Cristo. Aviva Nossos Corações é um ministério para mulheres, filial no Brasil da organização internacional Revive Our Hearts.

© 2022 Aviva Nossos Corações.